Executando verificação de segurança...
6

Python faz você se sentir inteligênte ou é apenas um preconceito com a linguagem ?

Dizem que quem programa em python não programa de verdade, isso porque a linguagem é muito fácil de se aprender, o que não é mentira ! Python tem um sintaxe muito fácil de usar, você consegue escreve códigos bons em poucas linhas, diferente de outras linguagens de baixo nível como C:

Somando 1 + 1 em C:

#include <stdio.h>

int main() {
int resultado = 1 + 1;
printf("A soma de 1 + 1 é: %d\n", resultado);
return 0;

}

Somando 1 + 1 em Python:

resultado = 1 + 1
print("A soma de 1 + 1 é:", resultado)

Ultimamente na internet tenho visto muito se falado a respeito de falar que quem programa em python não é programador de verdade, tem que programar em linguagens de baixo nível, daí sim é considerado programador de verdade. Eu discorco completamente desse ponto de vista, na minha opinião programador é a pessoa que sabe e consegue resolver problemas e ponto final, não importa se a pessoa entende o funcionamente por trás no sistema. Eu comecei programando em C, onde aprendi sobre alocação de memória, limpar buffer do teclado após o Scanf e coisas mais primitivas sobre computadores. Eu só concordo na parte que a pessoa tem que saber o funcionamento por trás, pra não sobrecarregar o sistema, saber em qual parte do computador vai usar dependendo do script, o espaço de memória, enfim, eu acho que a pessoa tem que tirar a imagem de um computador da cabeça e entender o que é um computador, isso sim !

Muita coisa na área de tecnologia é bullshit, pitfalls ! Você não tem que saber como e porque o píxel tá girando rápido na tela junto de vários outros pra criar uma aniamação de fumaça do jogo, você não tem que entender essa matemática complexa por trás, você é um ser humano, isso é responsábilidade do computador, entender o complexo, nossa capacidade é limitada ! Você só tem que saber como criar o píxel que faz essa animação de fumaça, pra usar em um jogo 3D.

O que acham ?

7

Não é que quem programa em Python não programa de verdade. Algumas pessoas fazem isso. Há uma tendência a isso, não é que todo mundo seja assim. E sintaxe mais simples, que faz algumas pessoas entenderem ser mais fácil aprender, não é o motivo para a pessoa não ser programador de verdade.

E é preciso entender o que é "programar de verdade". Você programa em Python, ou outra linguagem, até se você fizer um "hello world". Mas o "de verdade" é fazer um trabalho de engenharia, é pensar sobre cada decisão que está tomando e fazer o melhor sob vários aspectos que vão além de só fazer funcionar e dar o resultado desejado. É ter uma formalização dos procedimentos. E é só que vou falar por agora, já que vou produzir um conteúdo amplo sobre isso em breve.

Não tem problema algum em programar sem maiores compromissos. Mas tem quando o problema exige mais compromisso. Eu bato muito na tecla porque minha audiência é o "programador de verdade", o que pratica a engenharia de software.


Python tem sintaxe fácil, e isso é bom. Mas se a pessoa acha que Python, ou outra linguagem, é melhor por causa da sintaxe já sabemos que ela não programa de verdade. Eu adoro sintaxe, isso importa, mas ela não é tão importante do ponto de vista da engenharia. Por isso eu falo que se a pessoa tem medo de sintaxe mais complexa ela provavelmente não tem muita vocação para a área. Isso pode ser corrigido, em boa parte dos casos, mas pode ser dolorido, e nem todo mundo pode querer a dor.

Eu não gosto muito do exemplo do quase "hello world", porque 99+% dos códigos não são assim e isso não importa. Mal importa quando se está usando uma linguagem de programação porque o Excel não está sendo suficiente (porque o Excel é uma linguagem de programação mais limitada, sim, você leu certo, e é uma linguagem de programação mais fácil que Python). Claro que se vai fazer um simples script pode ajudar não ter penduricalho, mas um snippet resolve a questão de digitar isso. Não vivemos mais nos anos 70.

Por sorte algumas linguagens transitam bem e podem, opcionalmente até ter ponteiros, e por outro lado podem ter um código tão ou mais simples que o escrito em Python, e se for necessário tem como ele ficar mais curto ainda, por poucos caracteres, já que nem tem como fazer ficar tão menor sem perder a semântica. C# por exemplo é uma dessas linguagens, dá para fazer em uma linha, mantendo a legibilidade.

Claro que é óbvio que você não vai usar C para fazer uma coisa dessas, mesmo algo um pouco mais complexo. Mas ao mesmo tempo, para fazer coisas simples assim, C não é mais difícil que Python, a semântica é idêntica. Vou repetir: idêntica, e é isso que importa.

Para a pessoa programar em linguagens de baixo nível tem que ser basicamente em algum tipo de Assembly, e não vejo as pessoas falando isso (C não é uma linguagem de baixo nível, embora o próprio termo não costuma dizer muita coisa, justamente por isso as pessoas usam do jeito que querem sem ninguém saber do que está se falando). Para usar alguma coisa com menos abstração, eu digo para usar só quando faz sentido. Para certas coisas não é o recomendado, outras vezes faz. Se alguém fala sem considerar o contexto, a pessoa está errando. Eu mesmo questiono o pessoal incentivando o uso de Rust da forma como fazem, porque Rust não serve bem para a maioria dos problemas. Rust compete diretamente com C ou C++. Nenhuma dessas linguagens devem ser comparadas com Python que concorre com Lua, Ruby, PHP, JS, etc.

Ah, C é mais fácil de aprender! Afirmo isso categoricamente. C é mais difícil de dominar. C é mais difícil de usar. A quantidade de conceitos existentes em C é bem menor, por isso é muito mais fácil. Para fazer o básico tem bem pouco diferença entre elas, ambas possuem essencialmente a mesma semântica.

De qualquer forma elas não devem ser comparadas. Elas servem para propósitos muito diferentes, até no aprendizado. Uma serve para aprender ser programador de verdade, conforme definição já dada, e a outra para ser programador. Qualquer pessoa pode ser uma coisa ou outra, mas fica muito difícil ser programador de verdade começando com Python. Pode até não ser C, pode ser outra linguagem que deixe você ver o que está acontecendo ali para entender o processo e saber cozinhar qualquer coisa. Claro que começar com C não garante nada, só dá mais chance. A atitude de como a pessoa aprende conta mais, e uma dessas atitudes é escolher a ferramenta certa para o objetivo. Minha experiência, longa, é vendo quem se dá bem e quem só segue receitas de bolo.


Quem sabe resolver problemas é um monte de coisa. Inclusive nem precisa saber uma linha de código. Essa definição da postagem original não funciona. A pessoa pode ter na cabeça dela, mas não pode dizer que ela encaixa bem. Ela não tem sustentação. O programador de computadores (não o de escalas, de produção, ou qualquer coisa do tipo) precisa saber codificar. O programador de verdade precisa saber muito mais que isso. Ele precisa dominar o que a profissão exige, ele programa computadores.

Talvez a melhor comparação, e ela não é perfeita, seria com quem cozinha. Fazer comida em casa é diferente de fazer em um restaurante, mais ainda de um estilo fast food, e é diferente de ser chef e nem se compara com um engenheiro de alimentos ou nessa linha, que faz algo parecido, mas diferente. O único profissional de gastronomia aqui é o chef de cozinha. O resto trabalha com produção de alimentos prontos para comer ou faz por hobbie, e o resultado pode parecer igual, mas não é. E alguém que não seja um chef de cozinha, pode fazer algo de qualidade, mas é mais por coincidência, ou uma especialização bem grande, do que por habilidade. Quando você analisa o todo a pessoa mostra fragilidades que o chef não tem.

Eu pago 35,00 por um marmiteiro que costuma durar 2 dias. A comida não é ruim, mas seria melhor pagar 70,00 por refeição, a diferença não seria tão grande, mas seria melhor. E seria melhor ainda, mas nada que provocaria orgasmos, se eu pagasse 350,00 por uma refeição. Mas é bem diferente quem faz (quase sempre, não vou contar os marketeiros charlatões).

Ou a pessoa entende o que está fazendo ou ela está acertando pontualmente. Só um é profissional de verdade. Os outros pode até receber pagamento para fazer isso, mas não está na profissão, seja de chef de cozinha só porque consegue cozinhar ou ser pago para "fritar algo" seguindo uma receita, ou porque produz alguns códigos que resolvem alguns problemas, desde que simples, ou que já tenha a solução pronta em algum lugar, seja de engenheiro de software, a.k.a. "Programador de verdade".

Na hora que a coisa aperta sabemos quem sabe criar, resolver um problema difícil ou vai ter que jogar a comida fora. Reproduzir receitas ou criar algo pontual simples qualquer um pode, criar qualquer coisa não. E isso é o que diferencia o programador de verdade. Se a pessoa consegue um emprego em uma cozinha para seguir as receitas que dão para ela, ótimo. Isso não é um chef de cozinha de verdade. E essas pessoas não vão ganhar tão bem por razões óbvias. (Ah, muito programador ganha menos que cozinheiro, não estou nem falando de chef de cozinha).

A pessoa pode escolher ser assim, e não tem porque a pessoa se sentir mal por isso. Tudo tem mérito. Ser desonesto é algo a ser recriminado, fazer algo um pouco mais simples não. Muitas vezes a pessoa escolherá por limitação. Acontece o tempo todo com todo mundo, eu mesmo não sei quase nada sobre quase tudo.

É fato que você não precisa saber de tudo sobre tudo na computação, mas para ser um programador de verdade tem que saber a base muito bem. O que diferencia o programador de verdade não é a vastidão de conhecimento que ela tem, assim como o chef de cozinha não sabe a culinária de todos os países e regiões, mas ele sabe bem a base para fazer qualquer coisa de forma correta, e possa aprender facilmente o resto e que consiga aproveitar o que sabe para entender o que ainda não sabe, até porque ninguém sabe tudo.

Note que tudo o que eu digo aqui funciona para quem cozinha ou quem programa. Tem hora que deixo sem dizer sobre o que estou falando de propósito.


Não vou entrar em todas questões, por exemplo sobre os níveis de abstração que você deve descascar ou não, mas é óbvio que nem todo mundo precisa ir a todo nível. O chef de cozinha não deve ser um especialista em química, só saber um pouco.

Eu não entendi muito bem o objetivo da postagem, porque ela fala de Python, mas parece que quer falar de outra coisa. O próprio título ficou estranho pra mim. E a comparação das linguagens não ilustram o que se fala depois. E não mostra bem a questão de Python x C. A impressão que deu foi só uma defesa de Python sem argumentos, mas pode ser só um engano meu. Muito menos entendi a questão do preconceito com a linguagem. Eu nem consigo fazer uma crítica mais adequada.

E eu não chamaria de "código bom" o exemplificado. Pra mim código bom vai além do resultado certo, ele faz algo útil. E se poucas linhas for algo bom, dá para fazer com C criando abstrações, é mais questão de como a pessoa faz do que a ferramenta.

Ter poucas linhas não deveria ser métrica. Por isso algumas pessoas preferem usar um map em vez de um for que resolve igual, porém melhor, na maioria das situações. Nenhum problema para o programador, mas o programador de verdade se preocupa com isso. E ele fará o melhor, mesmo que não seja uma exigência no momento (pode ser depois, já deixa pronto para o depois), mas não fará se tiver um bom motivo para não fazer. O programador de verdade consegue tomar essas decisões, o programador não tem essa opção, ele não está habilitado a isso.


Algumas pessoas comentam sobre coisas que não entendem, outras fazem uma análise sobre fatos. Em alguns casos a simplificação trunca a conversa. E algumas pessoas pegam o truncado e passam a repetir sem saber bem o que está falando. Então algumas pessoas "Dizem que quem programa em python não programa de verdade". A questão nunca é tão simples, e todo mundo que tenta simplificar para um lado ou outro acaba errando, mesmo querendo acertar. Pode ser que algumas pessoas tenham preconceito (com a linguagem):

É uma ideia formada antecipadamente e que não tem fundamento crítico ou lógico

Nem toda crítica à linguagem é preconceito.


Ninguém precisa ter vergonha de não ser programador de verdade tanto quanto não ser chef de cozinha. As pessoas devem usar as ferramentas que são mais adequadas para seus objetivos. Se ela falhar nisso ela pagará um preço, pode ser grande ou pequeno.

Se a pessoa não entende a computação corretamente ela vai tomar decisões erradas, e em muitos casos não vai perceber. Só perceberá quando ficar todo torrado (eu já peguei comida assim sendo servida, de tanto que a pessoa não sabe que está errado).

As pessoas podem ter a opinião que for, mas isso não a torna automaticamente verdade. Cada um tem sua experiência e lida com essas questões de forma diferente.

E claro que positivei a postagem, porque a discussão é interessante, caso contrário eu nem entraria nela. Não positivei porque concordo com ela, até por não ter entendido totalmente nem seria possível. E certamente tem coisas que concordo.

Faz sentido para você?

Espero ter ajudado.


Farei algo que muitos pedem para aprender a programar corretamente, gratuitamente. Para saber quando, me segue nas suas plataformas preferidas. Quase não as uso, não terá infindas notificações (links aqui).

1

Só um adendo ao uso do termo "chef de cozinha", um chef me explicou uma vez que "chef" é um cargo dentro de uma equipe de cozinheiros em um restaurante. Está mais relacionado com as habilidades de liderança, organização e responsabilidade do que com as habilidades culinárias. No fim das contas, em muitas cozinhas há cozinheiros com habilidades melhores que o próprio chef.

Existe ainda o "chef executivo de cozinha", que muitas vezes nem chega a cozinhar no dia-a-dia, seu trabalho é mais focado em montar menus, organizar equipes, horários, contratar cozinheiros e auxiliares, etc.

1

Entendo, é a expressão que eu, um leigo, fala para explicar para outros leigos, e usa porque quase todo mundo entende o que é, mesmo não sendo a definição correta, e claro, eu não poderia usar isso dentro da gastronomia. Acho que também entendeu o que quero dizer.

Obrigado.

-6

Sinceramente pouco me importa se positivou a postagem ou não, eu de primeira imprenssão, já te achei bem arrogante, parceiro ! Mas irei te responder, porque concordei em alguns pontos, quanto a você positivar a postagem ou não, e caso não tivesse positivado nem teria comentado essa bíblia que você postou, pouco me importa, mas vamos lá...

Não estou defendendo a linaguagem Python, o objetivo da postagem é apenas um dentre diversos comentários na multidão, sobre como Python sofre hate, mesmo sendo uma linguagem fácil de se programar. Quanto a pessoa ser considerada programador de verdade, isso na minha opinião é uma discução que vai além da área de tecnologia, porque o piloto do computador é um ser humano, então para entender a máquina física, é preciso entender de harware, já pra entender a máquina orgânica, é preciso entender neurociência. Cada pessoa tem seu nível intelectual (capacidade de resolver problemas), existem pessoas que nascem abençoadas, já outras, eu diria... amaldiçoadas ! Sim, isso porque a pessoa tem um intelecto genéticamente semelhante ao de um primata, o problema começa aí !

Quanto a pessoa saber o funcionamento complexo, é claro que para ser um ponto fora da curva, é preciso entender a base de tudo por trás... Ao invés de simplesmente olhar apenas para a camada da interface, ter a atitude diferenciada de puxar a cortina para ver a magnificência das camadas por trás... Física(01)... Enlace[]-[] Enfim ooo

Muito se discute sobre o que é programar de verdade, mas ainda mantenho minha opinião anterior, programar é resolver problemas.

Quanto a analogia da cosinha, tenho uma postagem em que falo que A área de tecnologia é uma cozinha. Concordo na questão de que a pessoa não precisa conhecer todas as receitas do mundo, mas ao menos a base ! Você sabe que pra cosinhar um ovo você precisa de uma panela, mas na base, você sabe que o que precisa mesmo, é de calor, entende ?

A questão é... Para ser um programador de verdade, e eu digo como minha mais sincera opinião, e que a defino como geral e ponto final nessa discução, é que para ser um programador de verdade é preciso ser diferente ! Em tudo na vida, a diferênça é aquilo que cria algo novo, e é esse o segredo. Ao invés de você simplesmente ficar replicando o que já está pronto, o que a empresa por anos segue como padrão, o programador de verdade é aquele que explora o novo ! Foi assim que evoluimos da pedra para o ferro, do solo ao espaço, da pobreza a riqueza... A vida é um jogo de escolhas, o programa que buga o sistema é o que vence.

2

Como um amante do C que sou e de carreira programador Python acho esse tipo de comparação pouco produtivo.
Primeiro como programador resolvo problema.
Segundo só entendi certos conceitos de memória do python por que sei C.
Terceiro o foco delas são diferentes. é isso espero ter ajudado

1

"Dizem que quem programa em python não programa de verdade". Não sei pq alguém perde tempo com esse tipo de comentário. E daí se falam isso.
Na real, vejo muito mais reclamaçãoes de outras linguagens. PHP é ultrapassado, JAVA é verboso, C# é cópia ruim de JAVA. Esse monte de besteiras que não fazem a menor diferença.

1

Concordo com a maioria dos pontos. Esses comentários de fãboys de linguagens é muito prejudicial para quem está querendo entrar na área. Faz uma confusão na cabeça da galera 🤯

0

Estou aqui com meu sonho de criança, doido para entrar na área, e aí vem esses fanboys e destroem nossa linha de raciocínio e planos para começar (que é a parte mais difícil) a estudar, e nos fazem pensar novamente por onde e como começar.

1
1

Oii! Eu sei o quanto é chato toda essa situação inicial.
Acredite, passei por isso também. :(
Mas não desista não!

  • Explore um pouco sobre o mercado de trabalho, profissões que você gostaria de seguir em T.I ou que despertaram a sua curiosidade.
    Após isso, da uma pesquisada no conteúdo que é necessário estudar para se tornar aquele Profissional.
  • Para auxiliar nos estudos compartilhei uma técnica aqui no tabnews que tem me ajudado bastante nos estudos.
  • Não se cobre, cada um tem seu próprio tempinho de aprender.

E mais uma dica: Não dê muita bola para esses caras que acham que só a linguagem deles é a melhor.

1

O conceito é simples - a linguagem não importa. Claro que dependendo do que você vai resolver, uma linguagem de programação será mais adequada do que outra. Mas o que realmente importa é que independente da linguagem de programação, você deve resolver um problema e também fazer isso de forma com que o seu código seja fácil de dar manutenção, fácil de entender, fácil de adicionar novas features e fácil de testar, basicamente. Coisas mais avançadas estão relacionadas à também usar menos recursos da máquina como memória RAM e CPU. Um "programador de verdade" deve saber sobre essas coisas.

1
1

Uma linguagem de programação é apenas uma ferramenta em um kit. Você pode usar uma chave de fenda para pregar um prego? É possível! É a melhor ferramenta para a tarefa? Com certeza não, pois vai gastar muito mais tempo e esforço comparado a um martelo, que foi feito especialmente para bater pregos.

O que acontece é que influencers querem visualizações, comentários e likes para conseguir mais dinheiro e a melhor forma disso é ser polêmico e incentivar o bate boca.

1

Acho que linguagem nenhuma é melhor que a base/conceito. Para mim, a melhor linguagem é álgebra. O resto é ferramenta e aplicações. Igual IA, igual Lang de programação. Porem tem ferramenta certa para coisa certa, usar x para y pode ser bom como também pode ser ruim, ter a noção de quando usar é importante.

1

Eu acredito que a frase "Python faz você se sentir inteligente" vem de meias verdades. Porque como a lang tem uma curva de aprendizado INICIAL acentuada como normalmente mostrado, faz você sentir que você já sabe programar por entender facilmente o que está acontecendo naquele curso, artigo, etc e tal. Tal evento aconteceu comigo. Assim que comecei a assistir Curso em Vídeo, na sétima aula eu já sentia que sabia programar(só tinha aprendido lógica de programação praticamente), mas pela sintaxe fácil e pelo desconhecimento de frameworks e libs mais profundas e avançadas.

Agora vem o diferencial, quando a pessoa realmente quer ser aprofundar ela continua pesquisando e estudando. E, eventualmente descobre que existe todo um oceano para se explorar e você só estava na ponta do iceberg. Isso é um choque de realidade meio pesado, foi um pouco conturbante para mim, mas atualmente me sinto impulsionado sabendo o que estudar.

Portanto, na minha visão, a curva de aprendizado de python não é exponencial e sim uma curva ease-in-out. Obrigado pela atenção!❤

1

Oque o Python faz na minha visão é reduzir algumas barreiras com os chamados sugar-syntax, o importante é conhecer o problema e entender se o Python é a ferramenta ideal ou não para solucioná-lo...

Python é uma ferrari no quesito velocidade de programação... Porém como a ferrari só é adequada para alguns terrenos (problemas)

Se você precisar atravesar um rio, certamente a ferrari será inútil...

Comparação de tecnologia só faz sentido havendo um escopo bem definido, para assim ter um vencedor no escopo especificado, não há generalização, dev precisa ser promiscuo na seleção de ferramentas!

1

Programo em python a 4 anos e uso construo API, microserviços com python e posso dizer que tem muita complexa em python. Uso injecao de dependencia, testes, uso para inteligencia artificial e muitas outras coisas. Acredito que essa visao vem muito de a sintaxe ser simples, tipagem dimanica e voce poder codar tudo em um mesmo arquivo. Tambem programo em Typescript mas confesso que a sintaxe e algumas coisas sao mais complexas para fazer enquanto em python seria resolvido em uma linha. Assim na minha visao o python facilita muitas coisas, mas se voce se aprofundar vai descobrir muitas coisas complexas. No quesito velocidade, python esta longe de ser o melhor, mas no tempo de desenvolvimento nao tem como comparar, é muito mais rapido, entao para coisas que vivem mudando, aqui na empresa usamos python, mais para coisas que seram mexidas poucas vezes ou que velocidade seja um ponto critico, usamos Golang. Tudo tem um tradeoff no final

1

Sinceramente Python é tão bom quanto Ruby que eu acho melhor ainda que Python, acho que Python bombou de tanto alguns Programadores Influencers ficarem divulgando para vender curso depois kkkkk.

Mas cruamente falando programo em C# e JavaScript que é o que realmente esta pagando minha contas |o|

Antes de cair na lábia de vendedores de curso, ve como estão as vagas para Java, PHP, C# e JavaScript que é mais futuro! Não que Python seja ruim, e tem muita vaga para Python, mas as vezes a linguagem que você ja sabe, ja pode te pagar o mesmo e ate mesmo mais!

1

Compreendo o que você falou e concordo.

Eu estou no ultimo período de ADS, lá tive de entender (nem tentei aprender) várias linguagens de programação, na minha cabeça era: vou fazer essa faculdade, pegar o conceito geral das coisas e focar em cursos pra aprender de verdade o que eu quero fazer, então foquei na triade padrão: HTML, CSS e JavaScritp... e apareceu uma oportunidade de aprender Java direto com a Oracle... tirei meu foco do Front End e estou me preparando para aprender o Java... nesse meio tempo descobri que gosto de banco de dados, e para compreender melhor eu estou usando justamente o python para isso, e eu realmente gostei do pyhton é realmente muito mais intuitivo.

De forma resumida, não entendo o porque tem toda essa briga entre as linguagens e as comunidades delas, o foco sempre é, usar a linguagem, seja ela qual for para conseguir resolver problemas e principalmente problemas reais.

O Python é extremamente prático para "sisteminhas" de escritórios, principalmente para empresas com muitos processos manuais.

0

Comecei a programar em Basic, lá pelo ano de 1985. Nessa época já diziam que eu não era programador...
Passei a usar Clipper com uma pequena orientação a objetos... e diziam que eu ainda não era programador...
Passei a programar em Object Pascal com Delphi...
E os fanboys da Microsoft diziam que eu não era programador...
Comecei a programar backend em php... Diziam que até podia ser programador, mas estava obsoleto.
Frontend em HTML5, CSS e JavaScript... E ainda assim eu não era programador...
Nesses últimos 38 anos como não programador eu criei 3 filhos incríveis, sustentei minha família, ajudei meus pais em sua velhice e alguns irmãos e muitos amigos. Alguns com conselhos, outros com dicas, alguns com emprego e uns poucos com grana, quando não tinham nem o que comer...
Então parei de me preocupar com esse conceito e aceito sim, ser chamado de não programador.
Tá na minha veia. Corre no meu sangue, essa imensa vontade de não parar de aprender, de ser curioso, de resolver problemas e ajudar pessoas. Isso é o que na verdade importa...

1

Só queria dizer "obrigado" por compartilhar a informação da sua carreira e pelo seu comentário, me fez refletir sobre o que é ser um programador.

Não é ser um rótulo e sim um profissional que exerce sua profissão independente do que dizem, obrigado

0

Olha, acho que é bem pobre essa discussão, no sentido de não agregar quase nada à comunidade ou mesmo de gerar um falso debate.

Por outro lado, já acho mais rica a discussão onde codar HTML/CSS não é programar, pois aqui pelo menos os iniciantes são confrontados para rever conceitos caso eles tivessem essa visão.

Agora no caso do python é só barulho mesmo...

0
0

Bom, de fato não são. Porém, eu já fui inciante e já cheguei a pensar que sim, que eram. O que eu quis dizer foi: eu consigo compreender essa confusão e muitas vezes é um iniciante que levanta esse debate (também falso).

Agora, python é simples de propósito, faz o programador se sentir bem e confiante e sempre vai existir essas pessoas que diminuem os outros para tentar crescer.

Eu mesmo devo muito ao Python. Me mantive motivado a aprender justamente pq era fácil desenvolver projetinhos interessantes com ele.

Aí sei lá, não vejo outra razão pra estigmatizar uma tech já consolidada, como python, a não ser por problemas de insegurança e inveja do trabalho alheio.