Executando verificação de segurança...
6

Minha experiência com Micro-SaaS e a principal diferença entre SaaS

SaaS tá na moda, eu sei. Mas, meu intuito aqui é apenas compartilhar um pouco minha experiência e sair da venda de um sonho. Eu já vou logo esclarecer a diferença, porque acredito que muita gente ainda se perde nos conceitos:

Um Micro-SaaS é uma solução exuta focada em resolver um problema muito específico de um nicho muito específico. É um software mais fácil de manter, geralmente é autofinanciado pelos desenvolvedores envolvidos e, assim como SaaS, segue o modelo de assinatura.

Do outro lado SaaS é um software de longo prazo, uma ideia revolucionária, uma nova startup com a capacidade de pulverizar o mercado. Para isso SaaS envolve rodadas de investimentos (essenciais, por sinal) e muita grana para ser torrada com o objetivo de alavancar e tracionar o projeto.

A diferença notória é que Micro-SaaS é feito para ser exatamente "micro" (fico impressionado como muitos se esquecem disso e acabam criando um SaaS). Enquanto o SaaS quer conquistar o mundo, Micro-SaaS quer conquistar o bairro. Você não tem a solução para alta escala e nem para atingir todo o país. Você resolve uma situação muito específica e tem um número localizado banaca de assinaturas. Talvez você tracione seu Micro-SaaS um dia, mas não agora.

Você não vai ficar rico, contudo...

Verdade seja dita, ter sucesso com SaaS é a mesma sensação de encontrar uma agulha no palheiro (clássica). Centenas de startups morrem todo dia. E não é para desanimar, entender isso te dá a liberdade necessária para escolher o que quiser. Levante a mão o programador que nunca pensou em uma ideia "revolucionária" que irá fazê-lo brilhar quando lançar...

Aí, esse dev prepara todo o sistema e o mercado simplesmente o devora. O público não usa. O investimento acaba. Nenhuma rodada de investimentos resulta em zero oferta. Seu valuation é zero. São muitas variáveis aqui. Alguns irão se dar bem, entretanto para a maioria sobra a frustração, muito tempo perdido e várias auto-justificativas.

Eu, por exemplo, já trabalhei com alguns grandes players relacionados a gateways de pagamentos. Para que eles chegassem lá, toda semana tem alguém lançando um novo gateway (que são devorados pelos mesmo players). E de tantos, alguns dão certo. Se você acerta o tiro, sua vida e seu propósito são compensados. E se você topa essa jornada, te garanto valerá a pena. Não só pelo dinheiro, mas por tudo que você conquista além disso como: respeito na área, influência, satisfação, etc.

Nesse mar feroz de predadores e presas, uma corrente marítima perfura a agitação: os Micro-SaaS. Embora eu também tenha a grande ideia milionária todos os dias (assim como vários de vocês, imagino 😅) já tenho experiência o bastante para entender os malabarismos constantes para subir um SaaS online... não valem os esforços de no fim "ser mais um em um milhão".

Foi assim que eu entendi que eu não preciso abraçar o mundo. Já são mais de 15 anos que eu lido com todos tipos de clientes, dos pequenos aos maiores players, e trabalhando com todo tipo de projeto imaginável - inclusive SaaS e Micro-SaaS de clientes. E todos eles tinham problemas muito específicos ou situações em comuns que eram pequenas demais utilizar as melhores ferramentas do mercado e grande demais para eles manterem a solução por si próprios.

O que quero dizer com isso é que, por exemplo, imagine uma empresa que tem um jeito mais enxuto de organizar seus projetos. Ela só quer listar as tarefas e atribuir a colaboradores. Essa mesma empresa paga um Jira Software da vida e com tantas opções disponíveis e coisas para fazer que a equipe desiste de usar em uma semana. Se tivesse um software simples o bastante, mas eficiente na mesma altura... faria sentido aqui.

O grande mal do SaaS é que abraçar o mundo significa complicar o software, saturar as funcionalidades, combater todas as dores. Ou ele é um achado (como o iFood foi para o ramo alimentício), ou ele é extremamente completo para todos os tipos de pessoas. Nessa fragilidade uma pequena parte dos assinantes, pulam fora. O espaço perfeito para um Micro-SaaS se acomodar, mais do que suficiente para financiar projetos e ambições cada vez maiores.

Voltando para a minha experiência. Eu tenho uma carteira com mais de 150 clientes. Há pouco tempo, decidi explorar uma dor específica que muitos tinham. Tomei um tempo de desenvolvimento e estava pronto. Um Micro-SaaS tão micro quanto poderia ser. Consegui linkar essa solução (ainda) experimental para 25 clientes, a uma assinatura mês de 199,90. Resultado: uma renda automática em uma média de 5K/mês com um software que dá MUITO menos trabalho para mim do que prestação de serviços sob demanda.

Não parece muito (na escala que faturo, ainda é pouco), mas esse é de fato o objetivo inicial do Micro-SaaS. Muitos se esquecem disso e acabam transformando o micro em macro, nunca saindo do lugar. Não quero de forma alguma ficar no caminho da sua ambição, só quero garantir que entenda que o micro nunca será macro e o macro é uma jornada difícil.

Nessa brincadeira, só tem um jeito de você faturar bem com uma operação exuta: ao invés de escalar usuários, você escala softwares.

Tudo isso pra quê?

Sinceramente, não tenho a falsa expectativa de fazer um software milionário ou ter a nova startup no momento. A ideia é mais construir uma renda preditiva o bastante para ter recursos de investimento para ideias mais ousadas e também viver de renda. Contrato de prestação de serviço ainda representa 85% da minha renda mensal, embora essa margem tenha diminuído mês a mês mesmo com o aumento da renda - mas aqui estão algumas estratégias que valem ouro...

A ideia aqui é clara e, na verdade, muito simples: se você tem 10 Micro-SaaS a uma média de 5K/mês, já sabe o que significa.

É claro que não basta apenas saber programar. Tem uma série de coisas envolvidas como já escrevi em outros artigos por aqui. Você tem que ser bom em vendas, em marketing e outras coisas. Esse back-stage é o que muitos ocultam na hora de vender o sonho. Porque um produto não é nada se não tem vendas. E só tem vendas se tem marketing. E só tem marketing se tem estratégia. E por aí vai. Isso é o que falta para a maioria ter sucesso (como já disse aqui).

Claro que sei que meu exemplo é desmedido. Não acho que qualquer um conseguiria vender um Micro-SaaS a 199,90/mês como eu faço (o background e suas habilidades além da programação fazem a diferença). Contudo ainda sim é possível cobrar barato e achar pelo menos uns 150 usuários para manter seu Micro-SaaS faturando.

Meu conselho é, antes de pensar grande, nade como um peixe pequeno que se esquiva pelas correntes marítmas enquanto tubarões lutam. Você não precisa de um zilhão de cursos sobre SaaS, se eu fosse listar tudo que você precisa para um Micro-SaaS seria:

  • Ter uma ideia exuta;
  • Ter potenciais interessados nessa ideia (waitlist);
  • Ter a capacidade de desenvolver o software;
  • Ter a capacidade de colocar o software em produção;
  • Ter um orçamento mínimo de investimento para um servidor VPS (na gringa, por favor, ninguém merece app lento) e marketing;
  • Ter conhecimento básico em marketing, vendas e prospecção;
  • Ter coragem de sair na rua vender seu Micro-SaaS se for preciso.

Veja bem uma ideia exuta é diferente de uma ideia revolucionária. As vezes, aquela padaria de bairro adoraria ter um software de delivery simples que não consumisse suas taxas. Tudo que você precisa mesmo é linkar a sua ideia exuta com a dor de pelo menos umas 100 pessoas no Brasil. Não é tão difícil assim.

Acho que a maior barreira para muitos ainda é vendas. Vejo pelos pitchs aqui. Muitas ideias bacanas, mas todas precisam vender e apenas isso. Trabalhei com marketing digital por 3 anos (usava minhas habilidades de dev com data science antes disso sequer popularizar) e se tem uma coisa que aprendi é que você pode sim pagar pelo seu sucesso. Saber vender ajuda e MUITO. Mas com um budget certo, pode ter certeza que você fecha uma lista de 70 clientes e atingi o seu breakeven. Arrisque-se, mas não faça besteira. Junte um dinheiro antes, você vai precisar, principalmente se a sua única experiência é saber programar.

1

Do outro lado SaaS é um software de longo prazo, uma ideia revolucionária, uma nova startup com a capacidade de pulverizar o mercado. Para isso SaaS envolve rodadas de investimentos (essenciais, por sinal)

De onde vc tirou isso?

Pelo que eu sei, um Saas só tem mais features que um micro-saas por isso demanda mais pessoas para cuidar do softaware e pode incluir vendedores e atendimento.
Não tem nada de revolucionario. Ele pode ser de nicho. E não precisa necessariamente envolver investidores.

Uma startup revolucionaria pode ser um Saas mas nem todo saas é uma startup revolucionaria que quer abraçar o mundo.

Esse canal fala sobre o assunto
https://www.youtube.com/c/VivendodeSaas

E o dono do canal tem um saas. Nunca teve investimentos.
Nem mudou o mercado. É um Saas em PHP. Só é um saas com muitas funcionalidades pro nicho dele, tem equipe de atendimento e equipe de vendedores e claro bastante programadores. Mas é pequeno. Só é maior que um microsaas

De resto concordo plenamente! É isso mesmo!

1

Talvez eu tenha me expressado mal, de todo modo sigo o conceito americano. A razão inclusive pela qual o termo Micro-SaaS foi criado. Lá fora eles consideram que SaaS são grandes empresas com um foco aberto e uma larga base de consumidores. Já consideram um Micro-SaaS como uma empresa mais exuta e principalmente de nichada. Você não precisa sub-categorizar... mas isso é um consenso.

Nesse contexto, o exemplo que você explorou está mais para Micro-SaaS do que SaaS. Um Micro-SaaS está longe de ser caracterizado pela quantidade de funcionalidades... a operação ainda pode ser enxuta. Tem alguns mais radicais que consideram menos de 100K de alcance no nicho automaticamente como Micro-SaaS porém não entro nesse mérito.

Recomendo a leitura de Crossing The Chasm, Zero to Founder, Micro-SaaS Playbook e Traction: How any startup can achieve explosive customer growth para sair um pouquinho da bolha Youtube e contextualizar um pouquinho mais os processos

1

Entendi!
Eu sempre acho que micro é pequeno mesmo.
Eu mudaria: Microsaas, saas, macrosaas e estartups saas

Mas isso no final importa pouco. Ou não importa em nada.
São só nomeações.

1

Acredito que a nomenclatura serve para auxiliar na compreensão que seu projeto não precisa ser grandioso e tirar o peso de buscar pelo inexplorado. Afinal, 100 subs/mês é tão micro quanto poderia ser.

0