Executando verificação de segurança...
7

Se você quisesse nadar contra a maré e quisesse ser bem sucedido, qual seria sua escolha de Linguagem de programação?

Existem diversas vagas para desenvolvedor BackEnd, mas também existem diversos dev's BackEnd.

Oferta (dev's) x Demanda (vagas)

No caso do Javascript, sinto que a demanda supera a oferta, sendo assim, existem muitas pessoas se candidatando para um única vaga.

O que eu quero saber de você que me lê? Simples, qual ou quais linguagens de programação tenham um bom balanço entre Oferta e Demanda.

Eu já estudo Javascript (NodeJS), mas queria uma outra linguagem para aprender e praticar, não sou apaixonado por linguagem nenhuma, eu tenho um objetivo bem conciso que é me tornar DEV e consequentemente pagar os boletos com isso.

Já cogitei Java, .Net, Rust, mas eu quero ouvir vocês que estudam e que trabalham com tecnologia.

PS: Sei que não é simples assim, o mercado pode mudar, os ventos podem assoprar em outra direção, mas vamos especular.

6

Estamos na terra do Talvez, então darei um grande TALVEZ !

Uma área para médio longo prazo, ou seja, que não é para investir para emprego agora (ao menos no Brasil, pois lá fora já existe), seria a COMPUTAÇÃO QUÂNTICA.

Isso mesmo.

Eu mesmo já cogito ver por pura curiosidade a linguagem Q# da Microsoft.
Possui um emulador quantico para poder testar, onde para produção, há o chamado Azure Quantum, onde pode rodar seu código num computador quantico de verdade (desconheço o custo desta brincadeira haha).

Mas é isso. Beeeeem contra a Maré !

3

Nesse fluxo, tenho uma indicação de início dos estudos: a palestra "Quantum Computing for Computer Scientists". Gostei muito da didática do apresentador, ele me ajudou a ter um conhecimento básico sobre assunto.

E realmente é "contra a maré", porque quase ninguém estuda. Mas... já existem casos de uso bem sucedidos! Numa palestra interna da IBM na "BB Digital Week" do ano passado foram apresentados alguns casos de uso de grandes empresas. Vale a pena procurar.

1

Parabéns, realmente essa é uma ótima opção para se nadar contra a maré, estudar visando um futuro onde a computação quântica comece a ganhar mais espaço, no momento não consigo nem mensurar as vagas em aberto. Dica anotadissima, valeu.

5

você inverteu, o certo seria:

Oferta (dev's) x Demanda (vagas)

Quando falou do Javascript tambêm, não é a demanda que está superando a oferta, e sim a oferta que está superando a demanda. Existem mais dev's Javascript ofertando sua mão de obra do que a demanda das empresas.

0
0
5

Cara, não é a linguagem de programação que define o sucesso do programador mas sim a competência dele. E não é ser competente na linguagem X, é ser competente. Não existe "programador PHP", "programador JavaScript", "programador C#"... Só existe programador, ponto. E vale lembrar também que não existe só WEB. Existe um mundo inteiro fora dessa área.

Quer aprender algo que vai verdadeiramente lhe destacar? Aprenda sobre segurança da informação, mais especificamente Application Security (o que inclui desenvolvimento seguro).

Não vai demorar muitos anos até o conhecimento de segurança se tornar praticamente obrigatório para os programadores, é a tua chance de sair na frente. 😉

1

Na empresa que eu trabalho, estão começando a dar importância para segurança agora, faz todo o sentido. Também já congitei segurança e acredito sim vai ganhar muita força em pouco tempo, até mesmo o governo está incentivando iniciativas de formar profissionais da área.

3

Creio que Python possa ser uma opção interessante. Tenho a impressão de que a sua demanda vem crescendo mais rapidamente que a sua comunidade.

1
1

De fato, a "curva" não oscila. Está apontado para cima há algum tempo.

Se o critério for uma linguagem em que o "boom" já tenha passado, mas que ainda tenha uma boa demanda, penso no Ruby.

1

Ruby, vou dar uma olhada, parece bem interessante e bem consolidada.
Estou querendo realmente fugir do padrão, talvez assim fique um candidato mais atrativo para as vagas.
O sonho seria ter as skill's corretas para deixar de ir atrás de oportunidades e começar a ser procurado por recrutadores.
Cansa ver a mesma vaga ser postada 30x, o LinkedIn é inflado com tanta vaga genérica, que está lá poluindo as buscas, ex: Bares Dev.

3

Não posso prever qual será a linguagem do futuro.

No que diz respeito ao JavaScript, há uma grande quantidade de iniciantes que a escolhem como sua linguagem de partida. Isso pode dar a impressão de que há mais pessoas procurando emprego do que vagas disponíveis. No entanto, a realidade é que há uma carência de profissionais qualificados com conhecimento sólido em JavaScript. Muitos iniciantes sabem como usar um framework específico, mas quando questionados sobre JavaScript, que é a base dos frameworks web, muitos demonstram falta de conhecimento.

Não sei qual é o seu nível de conhecimento, mas em vez de focar apenas em encontrar a "linguagem do futuro", pode ser mais benéfico concentrar-se na linguagem demandada pelo mercado e se tornar um profissional competente nessa linguagem. Isso aumentará suas chances de ingressar no mercado de trabalho de forma eficaz.

1

Ótimo argumento cara, se destacar com conhecimentos sólidos parece uma boa ideia. Mas imagine assim, um dev bom mas sem experiência e um dev fraco com experiência, os recrutadores dificilmente irão em frente no recrutamento com o inexperiente por melhor que ele seja. Um currículo sem experiência e só com portfólio mal deve passar para o desafio técnico. Talvez com as respostas dos colegas, conseguimos imaginar um cenário onde os recrutadores vão até você por você ser ímpar.

2

Já estive envolvido em processos de recrutamento e, quando há alguém técnico no recrutamento, avaliamos o que é concreto e tangível. Nesse contexto, um iniciante com um bom portfólio muitas vezes tem uma vantagem em relação a alguém com apenas experiência.

No entanto, um problema que tenho notado nos dias de hoje é a existência de muitos portfólios que carecem de significado. Às vezes, encontramos sites simples ou meras cópias de projetos existentes. E quando pedimos para a pessoa explicar o código por trás do portfólio, ela tende a ficar confusa.

Acredito firmemente que, se você criar um portfólio sólido, ou seja, uma aplicação - mesmo que simples - que resolva um problema real, explique a ideia por trás dela e demonstre o código que foi utilizado, suas chances de ser contratado aumentarão significativamente.

Quando eu liderava processos de recrutamento para a minha equipe, focava em candidatos que possuíam um portfólio. Através disso, eu analisava o código e fazia perguntas sobre as decisões tomadas durante o desenvolvimento. Isso me permitia avaliar se o iniciante compreendia o que estava fazendo ou se apenas copiava códigos de outros lugares.

Embora não exista uma solução mágica para garantir um emprego, quando eu estava desempregado, ter um portfólio para mostrar foi o que realmente me destacou nos processos de seleção.

1

Seu comentário é extremamente relevante para o meu momento pessoal, estou começando um projeto (em NodeJS) para aprimorar e praticar. Com isso, quero montar um portfólio realmente atraente para os recrutadores.
O grande objetivo da publicação é descobrir como se tornar um Dev atraente a ponto de:
1. Ser abordado por recrutadores com mais frequência;
2. Quando se candidatar a uma vaga, aumentar as chances de ir para as fases finais e quem sabe ser contratado.
Hoje eu estou aprendendo NodeJS, mas queria a opinião dos colegas para descobrir qual linguagem de programação pode se aproximar melhor dos objetivos ou consolidar que NodeJS é uma boa opção.

3

SHELL

Não é só uma linguagem de script de máquina pra sysadmins. Tem comandos muito poderosos como grep, sed, cut, find. Podem realizar ações até mais performáticas que uma linguagem de programação própria de processamento de texto.

E muitas vezes tem situações onde vai ter uma máquina virtual que não pode instalar uma linguagem mais alto nível e só depende do shell script pra fazer alguma ação.

2

Olha, quem falar que sabe a linguagem do futuro ta contando uma lorota gigantesca, então daqui pra frente serão 2 tipos de respostas:

  • Uma nada Objetiva falando pra focar nas bases e que não existe bala de prata em programação (que não ta errada, mas sla acho meio chover no molhado);
    
  • Outra simplesmente cheia de bullshit e astrologia de dev sobre o futuro da tecnologia
    

Indo direto ao ponto acho que fugindo das respostas padrão, eu posso te dizer o que eu estou fazendo (mas tenha em vista que programo por hobby, ainda não estou na fase de Programação Orientada a boletos, portanto tenho o privilegio de escolher qualquer uma e me especializar o quanto quiser). Estou gastando a maior parte do meu tempo com GO, até o momento ta legal, só não conheço bem o mercado da linguagem no Brasil. Talvez no curto prazo vá ser dificil encontrar um trampo com ela. No longo/medio prazo quem sabe...
Em todo caso muito boa sorte com qualquer uma que va escolher, e se alguem que ler isso tiver noticias sobre o mercado de GO deixa por aqui, bateu a curiosidade enquanto eu escrevia isso kkk

1

Cara, espero que surjam mais comentários desse tipo, criei o post com o objetivo de especulação e ponto final. Golang é um opção também, não vi muitas vagas, mas posso estar olhando no lugar errado.

1

Tu ja olhou os projetos no github em GO ? kkkkk só tem coisa em mandarim por lá. eu to achando que alem de não ter vaga não tem nem dev focado nela aqui no Brasil...

2
0
1

Seria esse um bom sinal? Se poucas pessoas estão criando código em GO no Brasil e se a curva das ofertas ocilar pra cima, os candidatos que conhecem a linguagem se tornam "moscas brancas" e mais desejados?

1

Queria muito ter essa resposta man, pela logica de demanda x oferta voce ta absolutamente certo.O grande problema nisso é justamente a adesão das empresas, quem sabe kkk.
Depois que o mercado se recuperar da bolha das startups talvez (sendo muito otimista e partindo do pressuposto de que ele vai se recuperar...)

1

Txug0, você entendeu realmente o que eu queria dizer, criei a postagem pela especulação, assim como não existe bala de prata, também não existe uma única opinião certa. Não existem respostas erradas aqui, quero mais opiniões ex: Linguagem de programação X, pq ela está tendo bons resultados ou Linguagem de programação Y, pq começamos a usar no meu trabalho e ninguém do squad conhecia ou conhecia pouco.

1
2
2

COBOL

Linguagem pré-histórica, sem hype. Mas ainda muito presente, e que se encaixa perfeitamente nos seus dois principais requisitos:

  • "linguagens de programação tenham um bom balanço entre Oferta e Demanda".
  • "nadar contra a maré e ser bem sucedido".
1

Verdade, todo poderoso COBOL, sempre ouvimos falar sobre ele, alguns fazem piada, mas COBOL é relevante e não consigo imaginar uma mudança brusca em pouco tempo.

2
1

Essa é uma realmente nova, a TOTVS é uma puta empresa (com meu olhar de quem está fora), consegue mandar algum material ou algo do tipo? Vou seguir pesquisar um pouco sofre e compartilhar o que achei, mas obrigado pela recomendação.

2
2

DESENVOLVEDORES ABAP, Tem demanda ate dizer chega e ninguem quase quer entrar nessa area n sei pq, na minha cidade estão pagando 150 reais a hora de dev ABAP/SAP(Interior), imagina em SP kkk.

1

Sério? Interessante, ABAP/SAP parecem realmente nas minhas buscas por vaga, mas confesso que seria um salto de fé, não sei nem por onde começar. Se você já conhece e é um dev "veio" em ABAP/SAP, dê umas dicas de conteúdo, seria de grande ajuda.

1

Não precisa dar um salto de fé, estuda, ve pra que serve, assiste palestras, tudo sem desespero e apenas por diversão, quando vc perceber vai se descobrir em que segmento você sentiu que da bom pra vc...

2

Não acho que o futuro esteja numa linguagem de programação, mas sim nos conceitos teóricos da computação em si. As linguagens são apenas ferramentas para botar em prática estes conhecimentos, um exemplo seria:

  • Aprenda a como desenhar e projetar uma madeira bem feita, avaliar a sua qualidade. Assim, você saberá exatamente qual tipo de martelo (linguagem de programação/ferramenta) você precisará usar e quando.

E querendo ou não, toda computação procede da matemática, aprenda grafos e demais estruturas matematicamente, não apenas na teoria.

2
1

Vue.js é bem interessante, já estudei React e queria aprender Vue pra aumentar o meu "pool", Angular também aparece bastante nas vagas, uma linguagem de front que parece underground ainda é o Svelte, mas me chamou bastante a atenção.

1
1
2

Não é tão simples assim. Para pessoas inexperientes toda oferta supera a demanda, para pessoas experiêntes, toda demanda supera a oferta.

E ai que mora o problema, pra vc se tornar experiente precisa de uma linguagem que tenha mercado.

Pra um dev experiente sempre vai ter demanda seja lá qual a linguagem, por mais deepweb que ela seja.

Porém, contudo, entretanto e todavia, nenhum dev não deve se prender a linguagem e sim aos conceitos. Logo, a linguagem não é a pauta relevante.
Pra tu que é iniciante, vc deve é focar em qual linguagem vc vai conseguir se inserir mais rapidamente considerando o mercado de sua região. Criar networking tb é mto relevante.

Já pro meu gosto pessoal, gostaria que elixir e outras linguagens funcionais tivesse mais mercado e mais tração.

1
2

Eu acho que uma hora ou outra você tem que saber C++.

Existem muitas aplicações escritas em C++, e muita gente está migrando pra outras linguagens, mas os sistemas escritos nela vão sempre existir. C++ está se modernizando, e já é uma linguagem com mais de 30 anos de aplicação em sistemas reais. Temos muitas bibliotecas e conteúdos escritos sobre a linguagem.

O problema é que os bons desenvolvedores de C++ são bem escassos, e pouca gente procura programar nessa linguagem hoje em dia.

Eu sou um grande adepto do Rust, admiro Go, vejo grande valor em Zig como uma linguagem do futuro, e programo em Python por diversão, mas ainda acho que C++ ainda vai se manter como uma linguagem que paga bem e que vai te dar estabilidade de emprego por muito tempo.

2

Que soco no estômago, C++ nem ao menos passou pela minha cabeça, mesmo conhecendo-a. Quanto a RUST, o que você acha dela em particular? Será que já tem mercado bem disseminado? Confesso que ela me atrai muito e já até andei olhando algumas coisas, mas posso estar indo no pseudo-hype da rinha de backend.

1

Sou suspeito pra falar, porque eu curto programar em Rust. É uma linguagem extremamente sólida, mas que pode ser bastante difícil pra quem não tá acostumado.

Você vai brigar muito com o compilador. Existem conceitos bastante restritivos na linguagem, tudo em nome da segurança, mas que podem até ser resolvidos com algumas chamadas unsafe.

Mas em termos de comunidade, o Rust tem crescido muito. Tem muita biblioteca boa, essencial, como serde, tokio, chrono, env_logger, anyhow, thiserror, entre outras. As macros e os "derives" são ótimos pra passar pelos boilerplates. Tem muito projeto bom surgindo pra desenvolvimento no geral, como o Yew, Leptos, Tauri, e o saudoso wgpu.

Definitivamente, acho que ainda vamos ouvir falar muito de Rust por aí. Mas tenha em mente que a curva de aprendizado assusta bastante. Eu tive muita dificuldade pra começar e ainda peno bastante pra algumas coisas básicas que eu conseguiria fazer facilmente com Python. Mas é parte da jornada.

Eu até diria que hoje em dia eu prefiro começar um projeto usando Rust do que fazê-lo em Python.

2
2

Beleza, vamos lá!

  1. Java: Olha, Java é tipo aquele tênis velho que todo mundo tem no armário. Muita gente usa, muita empresa quer, mas também tem um monte de dev que manja. Se você pegar o jeito com Java, pode se jogar em coisas como Spring e aí, meu amigo, o céu é o limite.

  2. .NET (tipo, C#): A Microsoft tá botando fé no .NET. E agora com o .NET rodando em tudo quanto é canto, tá bombando. E tem o lance do Azure, a nuvem da Microsoft. Então, se você manjar de .NET, tem boas chances de se dar bem.

  3. Rust: Rust é tipo aquele indie que tá começando a fazer sucesso. Não tem tanta vaga quanto Java, mas também não tem tanta gente que manja. Se você quer ser aquele hipster da programação, Rust é uma boa.

  4. Go (ou Golang): O Google que fez, então já viu, né? Tá crescendo bastante, especialmente pra coisas de back-end e nuvem. E é fácil de pegar o jeito.

  5. Python: Python tá em tudo! De robôs a sites. Tem muita vaga, mas também tem muita gente que sabe. Mas se você curtir, vai fundo!

  6. Kotlin: Se você curte fazer app pra Android, Kotlin tá com tudo. A galera tá curtindo e as empresas tão atrás.

Mas ó, no final das contas, linguagem é que nem roupa, cada um tem a sua preferida. O que a galera das empresas quer mesmo é ver se você manja dos paranauês, se aprende rápido e se vira nos 30. Além da linguagem, tenta pegar umas manhas de DevOps, uns padrões de design e essas coisas.

E fica de olho no que tá rolando por aí. Bate um papo com a galera, entra em uns grupos, vê umas palestras online. Assim você fica ligado no que o mercado tá querendo. E aí, é só sucesso! 😉

Eu to na onda de integrar IA em tudo quanto é automação, eu acho que quem souber fazer essas paradas é o que vai estar valendo...

2

Considerando que eu já entendo bem o que está no mercado, já domino as técnicas existentes (ou seja: eu conheço a "maré"):

Eu aprenderia GoLang ou Rust, e tentaria aplicar o que aprendi aos conceitos de plataforma de desenvolvimento e devops.

Essas duas linguagens tem uma performance boa -- sem perder a estabilidade e a segurança.

O "pulo do gato": Criaria um ambiente de desenvolvimento em plataforma, cursos de introdução ao uso delas e aos conceitos básicos e problemas que elas resolvem; criaria ferramentas para aumentar a quantidade e o valor das minhas entregas, e desenvolveria a capacidade de ensinar essas ferramentas.

Mas... percebe que nada disso depende da linguagem? Ou melhor: há algo que independe das suas escolhas iniciais, que é a capacidade de entregar valor, seja qual for a tecnologia; é o conhecimento dos fundamentos e habilidade de os pôr em prática.


O primeiro passo então é entender bem o que está no mercado e dominar as técnicas existentes.

Muitas vezes ir contra a maré é simplesmente fazer o básico.

2

Mais importante do que qual linguagem de programação escolher é a capacidade do desenvolvedor resolver problemas com tecnologias em geral, porque no final das contas o que a empresa vai querer é ter o seu problema resolvido, independente de como (e com o menor custo possivel.)

Tendo isso em mente, eu consideraria olhar pra alguns ecossistemas que já oferecem varias soluções "Pré Prontas" para as empresas, como o Sales Force(CRM) e o SAP(ERP).

Falando um pouco sobre Sales Force, se você pesquisar você vai ver que é um mercado que esta pagando bem pois estão com escasses de profissionais nessa ferramenta. E dentro desse ecossistime existem varias carreiras possiveis a serem seguidas. E uma delas é a de desenvolvedor, inclusive eles tem a propria linguagem de programação o APEX.

Link para as carreiras possiveis em Sales Force:https://trailhead.salesforce.com/pt-BR/career-path/developer/

Fora que você pode usar seu conhecimento atual pra criar soluções para alguma dor expecifica que o CRM ainda não resolva. Como por exemplo um sistema de chamados de suporte, ou algo do genero, essas ferramentas de CRM costumam sempre ter um Marketplace para os desenvolvedores crirem soluções, semelhante com o Wordpress com os Plugins.

Esse CRM em expecifico abre margem até pra personalização do app mobile, então se você tiver conhecimento em Kotlin ou React é possivel criar soluções pra plataforma Sales Force.

Antes que esse comentario pareça uma evangelização do Sales Force, quero deixar claro que eu não trabalho com essa ferramenta kskkss, mas trabalho com outro sistima CRM que tem as mesmas caracteristicas.

Mas o ecossistemas Sales me disperta interesse, pois nos meus filtros que eu julgo ser importante para considerar uma tecnolo ele se encaixa muito bem:

  1. Possui escassez;
  2. Tem bastante demanda;
  3. Tem um bom ecossistema;
  4. Grandes empresas usam;
    Exemplos: Ifood, Banco Inter, XP Investimentos, Grendene, Meta ...
    Bonus: É possivel aprender de graça, a propria empresa lhe ensina.

Unica coisa que irá pagar é se quiser tirar certificação, o que é opcional.

Espero que minhas palavras possam lhe ajudar de alguma forma, abraço.

1

Caraca, super completa a sua contribuição, vou olhar o material que enviou, muito obrigado pelo seu tempo. Esses ecossistemas estão super bem consolidados, vale não só o meu tempo, mas também daqueles que tem a mesma dúvida.

1

Não acho que se trate de nadar contra a corrente, mas de pegar a onda no começo.

Sugiro Go ou Rust, são linguagens em curva ascendente de adoção, oferecem remuneração acima da média, têm mais vagas do que devs.

Nesse caso vc estaria nadando junto com a corrente, mas junto com a galera que tá formando a correnteza.